Olha eu...

Frescos e fofos

De raspão

Dahhh!!!

Pois é....

Regressos

Escuteirices

Teresa

E se eu voltasse a ser me...

As princesas certinhas e ...

Dahhhh...

Para quem pode

Memórias

Outubro 2013

Fevereiro 2013

Outubro 2012

Setembro 2012

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

tags

todas as tags

Sexta-feira, 27 de Julho de 2007

Dia dos Avós

                                        

 

Eu sei que foi ontem...

Ainda pensei em deixar passar, porque afinal é só mais um dia inventado, que não temos que ligar a dias impostos para estar ou pensar naqueles de quem gostamos...blá...blá...blá... mas não resisti. Se não os vences, junta-te a eles!

Liguei à minha avó, com quem não falava há já 15 dias, pelo menos. As conversas nunca variam muito. Quando se chega à idade dela o que ainda não se viu é tão pouco comparado com o que já se viveu... e as desgraçadas das dores nas pernas... "vão acompanhar-me até à cova!" (é das frases mais ouvidas)

E pensei nos meus outros avós, que já cá não estão, mas podiam estar não fosse terem sido levados tão cedo (nenhum deles chegou aos 70). Pensei no que já vivi desde que eles partiram e em como gostariam de ter estado comigo, quando me licenciei, quando casei, quando tive o 1º filho (o 1º bisneto!), e o 2º...

E depois há tambem os outros avós, que não são meus, mas de outro alguém, que vivem tão sozinhos... Eu no dia a dia contacto com tantos, há tantos que desabafam comigo ("Se a menina soubesse...") e há tantos que "aturo" (sim, porque os há bem chatinhos...)...

Merecem um dia só para eles!!!

E um post também...

 

Tou...: Neta
tags: ,


Terça-feira, 24 de Julho de 2007

Mummy

Estive ausente por uns dias, mas por um bom motivo. Tinha cá a minha "mummy". Por isso, amiguinhos, nada de Net, nada de posts... só miminho de mãe, que quem a tem longe como eu precisa de recarregar baterias!

E os piolhos adoraram ter cá a Vó. A que lhe faz as vontades todas (a minha sogra tambem faz, mas à maneira dela), que lhe compra brinquedos só porque sim e que faz ouvidos moucos quando a mãe diz que é melhor não o fazer.

Os meus pais vão de férias no próximo fim de semana. Fizeram 35 anos de casados, e ofereceram a eles mesmos umas férias pelo centro da Europa. É desta que vou deixar de ouvir a minha mãe dizer que "um dia ainda gostava de ir a Viena"...

Mas quem marcou tudo fui eu, aqui na Bimbolândia e, para não arriscar que já tivemos dissabores, ela veio até cá para levantar os vouchers. Sozinha, porque o meu pai tem a empresa quase a entrar de férias e muito trabalho até lá.

Chegou na 6ª de comboio, mas como eu estava a trabalhar ficou lá em casa a arranjar as cortinas da minha sala, que também foi ela que fez.

No sábado reservámos para nós umas horinhas de compras. Demos a volta ao Corte Ingles de Gaia de fio a pavio. Todos os pisos... não ficou um por vasculhar.

Quando eu era solteira, costumávamos fazer muitos programas como este. Ela ia ter comigo a Lisboa, e íamos para a Baixa, ver montras, fazer compras, passar o tempo, estar juntas... No ano anterior ao meu casamento, perdi a conta aos dias que passámos em Lisboa ou em Badajoz... havia muita coisa para comprar, mas ambas sabíamos que estas nossas saídas estavam quase a tornar-se uma raridade. 

Agora são menos (tenho sempre alguma dificuldade em arranjar quem fique com os piolhos só para a mãe ir passear), normalmente têm como destino a R. Sta. Catarina ou algum Shopping, mas são para aproveitar ao máximo.

Os saldos fizeram um jeitaço! A minha mãe comprou coisas mesmo giras para as férias, e como é uma  mãe e pêras, deu-me uma resma de presentes. Comprei trapinhos que chegassem, sempre na base do "deixa tar c'a mãe paga!".

É a forma que ela arranja de me ajudar. Como sabe que quem acabou há meses de construir uma casa não tem lecas de sobra, dá-me estes miminhos. E também me ajuda lá em casa. "Tu já trabalhaste o dia todo. Aproveita que eu cá estou e descansa!" 

Fui hoje levá-la ao comboio novamente.

Despedi-me com um sorriso e um "Divirtam-se! Aproveitem bem as férias!" Mas fiquei com o coração pequenino. Primeiro porque eles vão para longe e depois porque só os vou voltar a ver quase daqui a um mês.

Maldita distância.... 

 

 

 

 

 

Tou...: Chiuf!Chiuf!
tags: ,


Quinta-feira, 19 de Julho de 2007

Tucha


A Tucha tem seis meses mal contados. É uma gata, filha de uma gatinha, muito sossegadinha, que "só" faz companhia à mâe já velhinha de uma vizinha da minha sogra. Reparem nas aspas... só é como quem diz... de vez em quando lá se escapa,  foge da velhinha, que há muito deixou de ter pernas para correr atrás dela, e esqueira-se para os braços do mais charmoso dos gatos que ande nas redondezas. De vez em quando, lá tem a senhora uma ninhada de gatos para dar.

Mas tem lata que chegue! "Trago-lhe aqui esta gatinha, muito meiguinha, filha da gata da minha mãe para os seus netos brincarem. As crianças gostam muito de gatos." Esquerda volver! Lá vai ela, sem sequer dar tempo para que lhe digam que não. Quando os miudos chegaram do colégio, foi oficial. A partir daquele dia, havia mais uma gata lá em casa. As crianças gosta muito de gatos... e de ratos... e de cascavéis... e de escorpiões... e de girafas, golfinhos e leões amorosos!

Mas é compreensível. A gata é pequena, portátil, serve de peluche... Eles andavam um bocadinho tristes. O cachorrinho amoroso que tinham, transformou-se num monstro de 30kg, maior que eles e pouco dado a brincadeiras.

A gata é uma mimelas, não refila nada e até lhes deixa puxar o rabo.

Confesso que gosto da gata! 

Ontem, à hora do almoço o F. foi mudar a minha carrinha, que estava a trancar a dele. Entrou, ligou o motor, acelerou e nós só ouvimos um miar estridente, aflito.

O F. matou a gata! Gatos mortos não miam... o F. atropelou a gata! Foram lá ver. Eu não, que não tive coragem. Entretanto a gata fugiu para debaixo de outro carro.

"A gata tá muito mal. Se calhar temos que a matar. Mas ela não deixa ver, tá ali debaixo..."

O Piolhito começa a chorar. Quer ir ao quintal. Não o deixo. Grito com ele. Quero a todo o custon poupá-lo àquele cenário, àquele sofrimento.

Tiraram o 2º carro, desta vez com mais cuidado.

"Tá mal... tá a deitar líquido... vamos ter que a matar..."

O muido continua a chorar. Quer a gata, ainda agora andava com ela ao colo. A gata arrasta-se e esconde-se atrás de vaso. Assanhada, não deixa ninguem aproximar-se.

"Mata-se a gata? Com uma enxada?"

Gaita! Gente bruta!

A moça que passa a ferro na minha casa tira dali o miúdo. Obrigada, do fundo do coração.

Ninguem mata a gata! Não antes de eu ir ver como ela está. Fui lá. Estava com dores, encolhida. Cheguei lá, devagarinho, fiz-lhe uma festinha, falei baixinho... peguei nela. Miava com dores, mas aconchegava-se ao meu colo. O líquido era urina. Foi do susto.

Fui pô-la no ninho.Era só magoado. Dei-lhe Brufen dos miudos e obriguei-a a beber água.

Telefonei ao PIolhito a dizer que ela ia ficar bem.

Hoje ela já está melhor. Ainda coxeia, mas já tenta saltar dos bancos da cozinha para o chão.

Entretanto telefonei à amiga da amiga, que é veterinária. Brufen tá bem. Mais uns dias e fica boa.

Afinal, os gatos têm 7 vidas...

Tucha só te faltam 6... juízo!

 

 

 

 

Tou...: que susto!
tags: ,


Domingo, 15 de Julho de 2007

Escuteira uma vez...

Hoje fui almoçar a casa dos meus sogros. Já ouviram falar das queixas crónicas de falta de tempo e cansaço em tempo de férias (dos outros!), e um almocinho à pala calhou que nem ginjas.

Quem ler isto vai pensar que é caso raro lá irmos almoçar. Qual quê? Cravamos o almoço à sogra todos os dias da semana e às vezes ao fim de semana também!

Quando lá chegámos estava a televisão ligada na TVI. Transmitiam a missa dominical. Olhei para lá...

-Aí.... tanta chefe!!!! - disse eu ao dar de caras com a maior concentração de chefes de escuteiros por metro quadrado que vi nos últimos tempos.

-Os do lenço verde são os chefes?- perguntou-me o meu sogro.

- São. Os de verde, todo verde são chefes.

E fiquei ali a olhar para a TV e a recordar uma das etapas mais importantes da minha vida.

Eu também fui escuteira. E o meu irmão. E os meus primos. E a minha melhor amiga. E o meu pai, que foi arrastado por nós. E a minha mãe só não foi, porque resistiu estóicamente.

Corria o ano de 1989 (sim já sou um bocadito cota...). Eu, a minha prima Dora e a minha amiga Sónia, andavámos a pensar como contornar o facto de termos sido colocadas em escolas diferentes, que nos separava o dia a dia, e andávamos à procura de algo mais para fazer do que ir à escola. Tinhamos 13 ou 14 anos... o mundo ainda não era nosso...mas havia der ser!

Decidimos tentar o escutismo. Convencemos o meu irmão e o meu primo. Tínhamos que ser muitos. A todos ao mesmo tempo, os pais não iam dizer que não. E a minha avó também ajudou, julgando coitada, que os escuteiros eram só menininhos fardados que iam à missa...

O embate inicial não foi dos melhores. Mas "teimosinha da silva" como sou, não desisti. Continuei e não me arrependi.

Nos 9 anos que estive no Agrupamento vivi muitas aventuras, tive muitas experiências que só algo como o escutismo nos pode proporcionar.

Dormi em tendas... andei kms a pé com a mochila às costas... vi o céu à noite, cheínho de estrelas... acendi e apaguei fogueiras (de todo o tipo)... fiz amigos... pedi ajuda...  ajudei quem precisava... fui patrulha, equipa e equipe... desenrasquei-me... aprendi a tocar viola... rezei... cantei... ri e chorei... aprendi a ser eu... cresci...

Quando em 1998 o meu chefe de então me entregou um lenço vermelho, igual ao que eu tinha usado nos 4 anos anteriores, assinado por todos os elementos do Clã, as lágrimas cairam-me pela cara. De pena, por saber que a minha vida profissional seria imcompativel com a disponibilidade que ser chefe exigiria, mas principalmente de saudade da etapa que ali terminava.

 

O Escutismo faz 100 anos. Todos estamos de parabéns. Os que estão no activo e os que já não estão. Todos que mesmo com a farda já guardada numa arca qualquer, continuam a trazer para a sua vida a essencia do escutismo. Todos os que tentam deixar o mundo um bocadinho melhor do que o encontraram. Todos os que vivem "Sempre Alerta". Todos aqueles que nas encruzilhadas do caminho, páram e rezam a Oração do Escuta...

 

Orgulho-me de ser um deles.

 

Escuteira uma vez, escuteira para sempre.

 

 

 

Tou...: Escuteira
: Flor da Fragancia
tags:


7 Maravilhas

As maravilhas estão na moda. As nacionais e as internacionais. Nem vou dizer se achei bem ou mal. É mais uma votação... Mas como raio é que se puderam esquecer do Templo Diana?!?!? Andam ceguinhos de vez...

 

Agora as 7 Maravilhas que interessam...

 

Sras e Srs, tenho a honra de apresentar as

 

         7 MARAVILHAS DO MEU MUNDO

 

 

1- Os meus filhos, que dão sentido a  todo o meu mundo.

2- O F., o meu príncipe encantado, que me acolhe no seu abraço e vive comigo um Amor Maior.

3- Os meus pais, que sempre me apoiaram e que serão sempre o meu porto de abrigo.

4- Os meus amigos de sempre, aqueles de quem a distância me separa mas que estão sempre perto do coração.

5- A minha casa, porque todos temos direito a  um castelo, onde nos sintamos seguros.

6- As crianças da minha vida, filhos, sobrinhas, filhos de amigos, que me fazem ver o mundo com olhos simples

7- O Alentejo, porque lá as estrelas estão mais perto.

Tou...: Maravilhosa...
: What a wonderful world


Quinta-feira, 5 de Julho de 2007

Bifanas e bejecas

Voltei.

Tamos em Julho.

Começaram as férias do pessoal, e tamos com o staff reduzido e com menos tempo para navegações na net. Daí a minha ausência.

O fim de semana passou a correr mas foi uma delicia. Não visitei ninguem, limitei-me a estar com a familia mais próxima.

Foi ver os meus piolhos a brincar com a prima mais velha (tem 4 anos) e a tentar perceber como se brinca ou o que se faz à mais nova (tem 9 meses).

 Levei-os à feira, andaram nos insufláveis aos pulos e aos saltos, malucos de todo, suados em bica... agora vamos a este mãe, agora vamos àquele mãe, agora vamos... eu sei lá onde fomos... foi uma trabalhêra!!! E tirá-los de lá só com a promessa de irem aos carrinhos.

Jantámos as famosas bifanas e bejecas. Eu sei que faz mal, que lixa o colesterol... mas...azar. Ora uma gaja que pega no gajo e nos piolhos, que se levanta da cama às 7 da matina, que faz 400km na bisga, que leva voluntariamente os miudos ao parque,  tem direito a gozar o que a feira tem de melhor!!! E quem quiser que me diga que não! Qual divertimentos de cabeça para baixo, quais carrinhos de choque qual quê?! O melhor da feira são as bifanas e as bejecas!!!

Ainda andei nos carrinhos de choque... mas a bifanita já cá cantava!

No dia seguinte foram as compras do "É a 3€ freguesa, é só escolher!!!" Já repararam na pintomania que por aí anda? Parecemos umas Minnies a preto e branco! Mas aderi, com convicção. Afinal era só a "3€ freguesa"... foi só escolher...

No domingo almoçamos em Setúbal... terra dos "tchocos frrritos"... um peixinho mesmo à maneira. E viemos embora.

No caminho ainda parámos em Fátima. Estavam lá os meus sogros, que tinham ido numa excursão (outra coisa que para ter graça tem que ter frango frito em tupperwares) e acabaram por levar os piolhos com eles no autocarro. Claro que para eles foi a cereja em cima do bolo. Para a mamã é que foi um apertozinho mais no coração...

 

E a semana tem sido trabalho, trabalho e mais trabalho.

 

Mas o grande desafio continua a ser não perder o comboio quando vamos dentro dele.

 

Tou...: um bocadinho gorda


Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Cuscar e espiolhar